fbpx
Home Lore de World Of Warcraft Gnomos, os mestres tecnológicos

Gnomos, os mestres tecnológicos

Por Azion - Goldrinn
Publicado em 06/01/2019 - 00:00 Atualizado em 31/05/2020 - 23:51 0 comentário

Pequenos, engenhosos e mestres da tecnologia, os gnomos são uma das raças mais inteligentes de Azeroth. Os gnomos são descendentes diretos dos Gnomecânicos e hoje residem em Dun Morogh e são integrantes da aliança.


Introdução

Entrada da Cidade dos Gnomos, Gnomeregan

gnomos são uma raça humanoide que vive em Dun Murogh. Os gnomos são grandes mecânicos e inventores, renomados por seus conhecimentos e natureza excêntricas.

Os gnomos tinham uma cidade, Gnomeregan, construída próxima a Altaforja mas foi invadida e dizimada. Os sobreviventes atualmente vivem com os anões de Altaforja ou viajando com outros anões em Kalimdor. Os gnomos ainda estão se recuperando de sua perca e eles ainda tentam reaver o controle de Gnomeregan dos troggs.

A maioria dos gnomos em Kalimdor permanecem isolados em Bael Modan. Por mais que sua raça e cidade natal tenha sido praticamente destruída, os gnomos são muito amáveis e bondosos. Eles podem facilmente fazer diversos amigos e mante-los. É comum por parte dos gnomos tratar de forma paternal as outras raças, principalmente os humanos.

A maioria dos gnomos vive em Khaz Modan junto aos anões, e enviam representantes para falar com o rei dos anões quando necessário. Os poucos gnomos que optaram em viajar para Kalimdor vivem de maneira semelhante em Bael Modan. No geral, os gnomos são talentosos e tem uma queda pela criação de tecnologias e projetos inovadores. É muito comum vê-los em conjunto com os anões de Altaforja, desenvolvendo projetos a partir das inspirações dos anões.

A História dos Gnomos

Sem dúvidas de que os gnomos são uma das raças mais peculiares de Azeroth. Eles são obcecados em desenvolver novas tecnologias e construir maravilhosas engenharias. Não se sabe muito da história dos gnomos antes que os anões os descobrissem; Nem mesmo os próprios gnomos conhecem bem sua história antes da segunda guerra.

Ao que sabemos até o momento, os gnomos são descendentes dos mecagnomos, pequenos seres mecânicos criados pelos Titãs. Não se sabe o motivo de sua criação, o mais provável é que tenha sido para auxiliar na ordenação de Azeroth. Mas assim como os outros forjados pelos titãs, os mecagnomos foram afetados pela maldição da carne. Isso ao longo do tempo, foi transformando seus mecanismos em algo mais orgânico até chegarmos nos atuais gnomos. Em vários locais do jogo é possível encontrar trechos que explicam essa transição de forjados pelos titãs a raças mais carnosas. Exemplo é a masmorra Uldaman onde após eliminar o último chefe, existe um mecanismo titânico que explica um pouco sobre a maldição da carne.

Engrenochefe Mecanozod

Durante a construção de uma pista de pouso na Tundra Boreana, os gnomos encontraram o Engrenochefe Mecanozod,  De acordo com ele os mecagnomos foram criados por um titã chamado “O Grande Arquitelo” dentro de Ulduar e os gnomos são o resultado da maldição da carne sob o os mecagnomos. Ao contrário dos Tol’vir e Mogus, a maioria dos gnomos não gostariam de reverter o processo da maldição da carne para se tornarem mecagnomos. É possível encontrar no Picos Tempestuosos, outros vestígios do passado dos gnomos.

A primeira interação em maior escala registrada entre gnomos e anões ocorreu um pouco mais de 200 anos antes da The Burning Crusade. De acordo com o que sabemos atualmente, um explorador dos anões encontrou uma pequena vila gnômica. Ele ficou perplexo ao ver que enquanto os anões tinham acabado de descobrir a pólvora, os gnomos já tinham uma aldeia totalmente automatizada. E a partir dai o contato entre as duas raças só cresceu, e logo se tornaram aliados, e os anões permitiram e ajudaram os gnomos a construir sua capital, Gnomeregan, em Dun Morogh, no oeste da capital dos Anões, Altaforja.

Graças ao apoio que as duas raças tinham uma a outra, Gnomeregan e Altaforja prosperavam compartilhando recursos de Dun Morogh. Por mais que os anões tivessem uma afinidade com tecnologia e engenharia, eram os gnomos quem forneciam os projetos principais das armas e veículos dos anões.

Os gnomos serviram bem à aliança durante a segunda guerra. Mas algo muito estranho aconteceu, eles se recusaram em enviar qualquer gnomo para ajudar seus aliados durante a invasão da Legião Ardente durante a terceira guerra. Embora seus projetos ajudassem a ganhar várias batalhas contra a legião, os humanos e anões não entendiam o motivo de reter suas tropas e pilotos.

Somente quando a terceira guerra acabou, toda a Aliança descobriu o motivo da decisão dos gnomos. Aparentemente, uma amaçada – troggs – haviam surgido da terra e invadido Gnomeregan. Sabendo que todos estavam focados contra a Legião Ardente, os gnomos optaram em lutar sozinhos contra os troggs.

Por mais que eles lutassem bravamente pela sua cidade, Gnomeregan foi perdida e mais de 80% dos gnomos foram mortos. Os sobreviventes fugiram para a cidade de Altaforja. Comprometidos com a aliança os gnomos gastam seu tempo planejando estratégias e armas que os ajudarão a retomar sua cidade devastada e construir um futuro mais promissor para o seu povo.

Os gnomos raramente se aventuram na terra, mas muitos gnomos se espalharam por Azeroth. Graças a relação com os anões, muitos gnomos estão em Khaz Modan. Outros são vistos em lugares como cidades Neutras e da Aliança. E também estão competindo com os goblins em Mil Agulhas.

Em Terralém, os gnomos constumavam construir acampamentos nas margens do mundo, incluindo a estação do Tocha na Lamina Afiada. Em Nortundria temos na Tundra Boreana, a pista de pouso. Não se sabe o motivo exato dos gnomos em Terralém. Porém em Nortundria eles ficaram responsáveis em estabelecer uma base avançada para a Expedição Valencia.

Recentemente, os gnomos tentaram recuperar sua cidade novamente, não não conseguiram totalmente. Foi recapturado a superfície, conhecida como Vila da Gambiarra e desde então eles tem ficado lá.

Legado Gnomico

Erbag, represante dos Gnomos no Conselho de Tirisfal

O primeiro gnomo que sabemos em detalhes se chama Erbag, o representante gnomico no Conselho de Tirisfal, durante os primeiros dias de Aegwynn. Erbag foi descrito como tagarela e impaciente com Aegwynn.

Antes de Erbag assumir o posto de representante, sua antecessora era uma mulher chamada Indus, também membro do Conselho de Tirisfal. 2600 anos da primeira guerra, ela era a representante gnômica no conselho. Indus não só era uma maga respeitada e poderosa, mas também era conhecida como “A inventora” em Dalaran, por sua tendência criativa gnômica. Ela era próxima de Meryl Tempestavil. Ela, Meryl e o restante do Conselho ajudaram criar o primeiro guardião de Tirisfal, Alodi.

Cultura

Não sabemos muito da cultura gnômica. Porém é fácil perceber que os gnomos se esforçam em aprimorar suas tecnologias e conhecimentos através de diversos experimentos.

Até o momento não foram encontrados registros que dizem as nomas necessárias para os casamentos gnômicos, embora Marvin e Tamara Rodafrouxa sejam um exemplo de humanos e gnomos casados.

Os gnomos são leais a si próprios e em seus amigos, e principalmente em suas invenções. Existem alguns casos deles seguirem o caminho da luz. Desde a descoberta recente de suas origens titânicas, os anões de Altaforja pensam que eles também podem ser produtos dos Titãs. A descoberta acidental dos mecanismos pelos gnomos confirmou que eles estavam corretos nessa suposição. Algumas gnômidas foram conhecidas como membros das Irmãs de Aço que mostraram habilidades para transformar sua carne em pedra ou aço.

Línguas

Os gnomos falam gnômico e comum. Eles conhecem as línguas de seus amigos e seus rivais goblins. Além disso, não é incomum que os gnomos se refiram a si mesmos na terceira pessoa.

Tecnologia

Maquina de voo Gnômica

A tecnologia gnômica é algo bem peculiar, eles costumam criar projetos relativamente complicados mas geralmente seguros. Os gnomos num geral, costumam gastar bastante tempo planejando um projeto ou trabalhando nele. Se algo da errado, é comum eles tentarem descobrir o por quê e resolve-lo, se puderem. Se o projeto da certo, eles continuam a mexer nele e melhorar o design, muitas vezes por anos depois. Por isso, os projetos gnômicos apresentam um alto grau de complexidade e uma baixa chance de falha. Exceto aqueles que envolvem energia caótica, mas neste caso eles costumam tomar as medidas necessárias para evitar uma falha fatal.

Os gnomos ao planejar novos projetos, costumam produzir diversos esquemas e esses esquemas podem levar mais tempos para sempre produzidos do que os próprios dispositivos. Por mais que essa atitude cautelosa resulte em produtos melhores, muitas vezes levava tempo de mais e os cultos mais altos ainda. Enquanto um goblin desiste já quando percebe um custo muito alto, um gnomo simplesmente da os ombros e continua. Assim, é fácil dizer que os itens gnômicos são bem mais seguros que os itens goblinicos.

Os gnomos no geral são pensadores inovadores e são responsáveis por diversas invenções. Apesar de serem um povo pequeno, os gnomos pensam grande, muitas vezes produzindo desenhos complexos demais para serem desenvolvido. Para eles, a tecnologia é um modo de vida. Por mais que os gnomos aceitem outros oficios costumam mexer com tecnologia em seu tempo livre. Eles são curiosos de forma inata, eles produzem uma grande variedade interessantes ou divertidos, mas muitas vezes inúteis também. Mesmo que muitas vezes, algumas invenções sejam inúteis, os gnomos valorizam todas as invenções, não importa a sua importância.

Aparência

Gnomos em World Of Warcraft

Pequenos, simpáticos e elegantes. Os gnomos tem aproximadamente 3 pés de altura, sendo considerados a menor raça de Azeroth. Eles são um pouco parecidos com os anões, mas são menores e não tão encorpados. As principais características de um gnomos são os detalhes faciais, pele avermelhada, ouvidos ligeiramente grandes e arredondados, e a cor de cabelo varia consideravelmente. Em alguns casos, existem gnomos até com cabelos rosados ou esverdeados. Outra coisa peculiar, é que os gnomos possuem somente quatro dedos em cada mão. Eles também são comumente vistos com óculos de proteção, cintos de ferramentas, entre outros diversos itens relacionados a sua tendência tecnológica.

Como os gnomos tinha baixa estatura, eles eram muitas vezes ridicularizados pelos membros da aliança. Eles eram frequentemente considerados lentos e mais lentos ainda quando era necessário se moverem durante batalhas. Porém graças ao Gelbin Mekkatorque, os gnomos ganharam um novo meio de locomoção, a montaria Mecanostruz. E que serviu como uma maneira útil de se movimentarem rapidamente pelo mundo.

Uma das vantagens em ser gnomos, em World of Warcraft, é de que os gnomos podem ser um alvo difícil de clicar, tornando mais difícil os inimigos mirarem neles usando o mouse. Isso é extremamente útil no caso de guerreiros e ladinos. Os gnomos que escolhem seguir o caminho das armas branca são particularmente mais difíceis de se atingir devido aos seus estilos de luta acrobáticos combinados com seu pequeno tamanho. O tamanho dos gnomos é bem útil também, quando gostam de explorações.

Você também pode gostar

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Se você continuar a navegar neste site, assumiremos que você está satisfeito com isso. Ok